Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

ESG na prática: o que grandes empresas estão fazendo

Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on facebook
Share on whatsapp

Fique por dentro do que grandes empresas brasileiras estão fazendo para colocar o ESG em prática e entenda por que elas estão na frente.

Mais do que nunca, negócios e líderes em cima do muro perderam seu espaço no mundo corporativo. Atualmente, a sociedade exige um papel transformador de empresas de todos os segmentos. Por isso, afirmamos com tranquilidade: empresas que investem em práticas sustentáveis são prioridade nos radares de investidores, consumidores e novos talentos.

E você sabe o que isso significa, né? É o momento de prestar mais atenção no ESG. Inclusive, já falamos sobre isso aqui.

Nesse sentido, hoje você vai ver o que grandes empresas brasileiras estão fazendo quando o assunto é ESG e ficar por dentro das principais estratégias para uma jornada sustentável de sucesso.

ESG nas empresas brasileiras: do discurso para a ação

Em 2021, o Instituto FSB Pesquisa realizou uma pesquisa que confirmou o que já era tendência: as empresas já entenderam que, sem ESG, não conquistarão novos mercados. Ou pior: podem dar alguns passos para trás.

Nesse sentido, o estudo, que contou com uma amostra de mais de 400 executivos de empresas brasileiras, mostrou que 79% das empresas consideram relevante investir em práticas sustentáveis. Ou seja: investir nas práticas de ESG é investir na própria sobrevivência no mercado. Afinal, acompanhar os movimentos e as necessidades ao seu redor é a estratégia mais prática para dar passos longos e eficazes.

É, mas transformar o discurso em prática ainda é um desafio: o estudo constatou que empresas do nordeste estão bem mais avançadas nos quesitos de ESG. Por exemplo, 22% da amostra exige certificações de fornecedores — muito à frente em comparação às outras regiões.

Além disso, outro dado que nos chamou atenção: os setores de agro e indústria lideram quando o assunto é a presença de estratégias de sustentabilidade e mapa de riscos e oportunidades. No entanto, quando se trata de metas socioambientais e um conselho para gestão, quem está à frente é o setor de serviço.

Enfim… Que tal conferir na prática o que está acontecendo? Conheça algumas das maiores empresas do Brasil que se destacam com o ESG!

Natura

A Natura Cosméticos é uma das principais referências brasileiras quando falamos de ESG. Conhecida mundialmente pela campanha “Amazônia Viva”, projeto com ações voltadas pela preservação da Amazônia, a marca já investiu mais de US$ 400 milhões na causa ambiental na última década. Hoje, a Natura já é considerada uma das empresas mais sustentáveis do mundo segundo levantamentos do Corporate Knights.

Para começar, a Natura é, desde 2007, uma empresa 100% carbono neutro. Isto é, todo o carbono utilizado pela marca é levado em consideração. Nesse sentido, todas as emissões que não podem ser evitadas são convertidas na compra de créditos de carbono de projetos, nacionais e internacionais, para benefícios sociais e ambientais.

Além disso, a Natura também tem diferentes iniciativas para a promoção da diversidade e inclusão — e também é referência nesse quesito.

Não é à toa que a marca só cresce, né?

Arezzo & Co

A Arezzo & Co (grupo das marcas Arezzo, Schutz, Anacapri, Alexandre Birman, Fiever, Alme, Vans, AR&Co, Baw e Carol Bassi) tem uma trajetória admirável com a agenda ESG: a empresa não mede esforços nos investimentos dos pilares: produção responsável, meio ambiente saudável e pessoas empoderadas. Inclusive, a cultura ESG está presente na Arezzo & Co há bastante tempo. Afinal, a marca sempre promoveu a diversidade e mantém o comprometimento com causas sociais.

De acordo com o Índice de Transparência da Moda Brasil de 2021, promovido pelo movimento Fashion Revolution, a Arezzo & Co foi uma das empresas com maior destaque por suas boas performances nos indicadores relacionados à governança. Ou seja, é uma das principais marcas de moda a ser transparente sobre suas políticas, práticas e impactos sociais/ambientais.

Esses resultados não existem à toa, né?

Em seu último relatório ESG, a Arezzo & Co revelou que tem como meta reduzir em 30% as emissões de Gases de Efeito Estufa nos escopos 1 e 2, ou seja, as emissões diretas e indiretas em função do consumo de energia.

Inclusive, o curso “ESG: Da teoria para a ação“, da ROK’S, conta com a Head de Sustentabilidade da Arezzo & Co: Suelen Joner. Durante o curso, além de explicar sobre as metas e estratégias de ESG da marca, a especialista ensina os principais caminhos para uma jornada ESG eficaz.

Junto com ela, estão outros dois grandes especialistas: Renan Vargas, cofundador da Trashin, e Lara Ely, jornalista e especialista em gestão ambiental. Acesse o curso aqui e dê os primeiros passos no ESG!

Lojas Renner

A Lojas Renner também foi destaque no Índice de Transparência da Moda 2021! Em seu programa de sustentabilidade, a Lojas Renner lançou o selo Re Moda Responsável, em 2018. Com isso, declarou o compromisso público de alcançar o marco de 80% dos seus produtos serem produzidos com matérias-primas e processos menos impactantes até 2021. E a empresa ultrapassou sua meta! Ao fim de 2021, superou: atingiu o percentual de 81,3% de produtos menos impactantes.

Mas o que isso significa? A gente explica! 🙂

De modo geral, são peças com matérias-primas mais sustentáveis — como o algodão certificado, poliamida biodragradável, entre outros — e processos com impactos menos agressivos ao meio ambiente – como o tingimento natural, um menor consumo de água… e por aí vai!

Aliás, quando o assunto é algodão certificado a Renner é exemplar: 99,15% do seu algodão é assim! Além disso, a empresa possui 100% do seu consumo corporativo de energia proveniente de fontes renováveis. Em seu compromisso público, o percentual era de 75%.

Você pode entender um pouco mais sobre os produtos menos impactantes da Renner aqui, no site da marca!

Por fim, você sabia que a Renner é um negócio carbono neutro desde 2016? 100% de suas emissões de gases de efeito estufa são compensadas todos os anos!

Ambev

Desde 2014, a Ambev tem um forte compromisso com um mundo melhor. Inclusive, a empresa faz parte da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas (ONU): iniciativa que reúne organizações dispostas a gerenciar negócios sustentáveis.

A marca é referência pelo seu cuidado com a utilização do PET, do alumínio e do vidro incentivando a cultura retornável no Brasil. Além disso, as cervejarias Ambev produzem praticamente nenhum lixo: a empresa reaproveita mais de 99% dos seus produtos e materiais.

E não para por aí! Mais de 50% da matéria-prima utilizada pela marca são cacos de vidro derivados de parcerias com empresas sustentáveis. Ah, e a Ambev também utiliza garrafas de vidro retornáveis – que podem ser utilizadas mais de 20 vezes por ano.

Nesse sentido, a Ambev, maior empresa de produção de bebidas do Brasil, possui metas de sustentabilidade super claras e desafiadoras para 2025. Conheça algumas:

  • 100% dos agricultores capacitados, conectados e empoderados financeiramente;
  • Melhorar a disponibilidade e qualidade de água para 100% das comunidades em área de estresse hídrico;
  • 100% dos produtos em embalagens retornáveis ou feitas de conteúdo reciclado;
  • 100 da eletricidade comprada deve ser oriunda de fontes renováveis.

E aí, o que você achou dessas movimentações? Poderíamos listar dezenas de empresas brasileiras por aqui. No entanto, nossa intenção é que você entenda como é necessário abrir os olhos para uma agenda sustentável. Afinal, é como falamos no início desse artigo: o ESG já é uma questão de sobrevivência no mercado.

E, se sua empresa já possui compromissos com a agenda ESG mas ainda não sabe produzir relatórios eficazes, preparamos um empurrãozinho para você !

Elaborar um relatório ESG pode ser fácil! A ROK’S produziu um guia com 10 passos para te ajudar nessa jornada. Para receber com exclusividade, deixe seus dados aqui:

Confira também

Você também pode gostar

Hot daily news right into your inbox.